sábado, 20 de novembro de 2010

O massacre de Abgail!

Bom, gente, eu venho há dias reclamando que o Alvinho não é o assassino em série que a foto no banner mostra! Aquilo foi photochoque! Mas a verdade é que em todo cão corre um pouco de sangue assassino e, cedo ou tarde, todos revelam esse lado tenebroso! Então, vamos à Abgail...

Inicialmente, devo esclarecer que aqui em casa existe uma maldição que acomete toda romazeira que vem morar conosco. Sim, Abgail era uma romazeira... Para explicar melhor a maldição, vou fazer um pequeno retorno a tempos pré-alvinescos e mostrar que o buraco é mais embaixo!

Há uns seis anos, disseram-me que romazeiras trazem boa sorte, dinheiro. Eu havia acabado de terminar o mestrado, estava empregada temporariamente e cheia de dívidas em função da idéia de jerico de fazer um mestrado em sampa morando no rio, sem bolsa e sem emprego milionário... Não custava tentar, não é?! Fui lá e comprei uma! Chegando em casa, a instalamos comodamente à janela, para tomar sol. Como dei a entender mais acima, à época não tinhamos o Alvinho, tampouco a Isaura, apenas o Vitto, nosso gato rabugento! Acontece que Vitto sempre teve um lado meio vegan, que nós não deixávamos aflorar, já que o alimentávamos com ração. A chegada da romazeira anônima(à época eu ainda não tinha a mania de nominar tudo) despertou uma compulsão assassina vegan em Vitto. Ele começou sistematicamente a atacar a pobre planta! Folha a folha, apesar de nossos protestos e intervenções, Vitto não parou até chegar ao último caule! Da nossa linda romazeira, em pouco tempo restou apenas um galho seco!

Retornando ao passado próximo, em março Alvinho devia ter uns 6 meses! Desde que chegou aqui em casa, em novembro de 2009, a sacada do meu quarto foi transformada no seu canil. E a sacada era também nosso único jardim(nós aqui em casa somos muito plantadoras). E assim as plantas foram ficando na mureta da sacada, que era alta o suficiente para que Alvinho não as alcançasse... era! Não sei como, Alvinho deu conta de pegar o vaso de Abgail! Foi o horror, o horror! Minha sacada transformada em praça de guerra! No último domingo de março fui acordada às 7 da matina para limpar a sacada, pois, quando a farra acabou, Alvinho ficou agoniado com a sujeira e começou a chorar: mamis, vem limpar meu quartinhooooooo????

Naquele dia, faltou pouco para Alvinho, ganhar um novo lar! Minha mãe, que hoje é louca por ele, naquele dia ficou louca COM ele!! Imaginem: ela levantou com o choro dele e veio me dizer que ele estava com fome! Eu respondi que era cedo, que ele estava com manha! Ela foi abrir a janela e quase infartou com a visão do inferno:



Não fotografamos o cadáver, porque o seu estado poderia matar alguém de coração fraco, mas fotografamos o meliante. Vejam a cara de pau:






Foi quando comecei a preparar o cartaz de doação que percebi o quanto eu já amava esse bandidinho e minha mãe, ao me ver às lágrimas, pôs-se no meu lugar, imaginando como se sentiria se tivesse de doar Isaurinha(e, cá entre nós, no quesito das artes, ela não fica muito atrás de Alvinho, antes pelo contrário, creio ser ela a grande mestra das artes aqui em casa!) e disse-me para parar, que ele ficaria, assim como D. Pedro e o raio do dia do Fico!!

Outro dia eu conto sobre o ratocídio...

Beijos,

Pat

2 comentários:

ale disse...

Tava com saudade de ocê, meliante assassino de abigails..

A espiã do Godot!! disse...

e eu d'ocês, mãe e hidalgo filho da mãe :)